De hoje!

terça-feira, 31 de março de 2015

 Ainda não consigo acreditar... Todos os anos compramos qualquer coisa para a minha mãe, algo pequenino, significativo e completamente dentro do "orçamento", contudo, este ano, quisemos exceder-nos e comprar-lhe o faqueiro Slim que ela tanto queria d'A Loja Do Gato Preto! Eu tinha noção que era caro e levei bastante dinheiro, mas não estava à espera que um conjunto de talheres fosse tão dispendioso. Claro que o trouxemos, pois a minha mãe já o namora há 5 ou 6 anos, tendo em conta que é uma das peças intemporais d'A Loja Do Gato Preto, e gosta tanto dele que o dinheiro gasto vai valer a pena quando virmos a reacção dela.
 Se bem conheço a minha mãe, primeiramente ela vai ficar surpresa, depois uma mistura de chateada e feliz, vai dizer durante 5 horas que não devíamos ter feito isto e que devia ter sido ela a comprar... Eu e a minha irmã vamos ouvir tudinho até ao fim, sem reclamarmos, o que vai ser bem difícil, e depois a minha mãe vai aceitar de bom grado e ficar nas nuvens a apreciar cada detalhe de cada talher!
 Além disso, como pode ficar chateada muito tempo comigo se me voluntariei para limpar a casa e mostrar aos panos sítios que eles nunca tinham visto? Limpar a casinha toda a ainda um faqueiro? Que queres tu de mim filha? Vai ser muito engraçado... Vou pedir à minha mana que grave, porque vai mesmo ser épico!
 Em suma, o dia foi bom e a recompensa que vai trazer na Segunda vai valer a pena, muito muito muito muito mesmo!

Opinião: The Water Divine

sábado, 28 de março de 2015


 Já há muito tempo que não via um filme que me fizesse pensar tanto. Voltei a chegar à conclusão de que a esperança conjugada com um amor de pai (ou qualquer tipo de amor) do tamanho do mundo são dois sentimentos que abalam todas as expectativas.
 Quando o amor rebenta com as costuras e o sofrimento é demasiado, porém não conseguimos desistir de procurar, alcançamos quase sempre as respostas que esperamos.
 O filme retrata a história de um pai desesperado e viúvo que decide envergar na viagem da procura pelos 3 filhos desaparecidos na 1ª Guerra Mundial. Este agricultor vai do seu lar calmo na Austrália até ao vasto campo de batalha em Gallipoli, passando por uma cidade onde conhece um miúdo muito engraçado no seu jeito cuja mãe também ficou viúva, contudo do lado oposto da guerra!

 É super interessante a maneira como mostram os dois lados da guerra e as duas faces de cada lado... E isso foi sem dúvida uma das coisas que me impediu de sair do sofá!
 Aconselho vivamente o filme a quem gosta deste tipo de entretenimento. Mas só mesmo para quem gostar...
 Por hoje é só!

Do regressar!

sexta-feira, 27 de março de 2015

 Voltei ontem de umas mini-férias que fazem parte dos melhores dias da minha vida. Fomos os 13 para uma casa muito pequena e divertimo-nos à brava. Durante estes curtos 5 dias aproximei-me um pouco mais de cada um deles, tive conversas super profundas, criei laços infinitos, bem como intemporais!...
 Se eu duvidava que os meus amigos me queriam bem, estes dias serviram para a clarificação de todas as minhas interrogações. Sim! Sou muito amada por casa, recebo muitos mimos,... porém, nunca fui tão bem tratada nem tão amada como fui por todos eles. De maneiras diferentes, às vezes sem palavras, outras vezes com palavras a mais, contudo, de uma forma ou de outra fui mimada e elogiada e apaparicada!
 No entanto, CALMA, também os mimei! Afinal, cozinhei todos os dias para eles, incentivei alguns a fazer coisas que queriam e nunca tinham encontrado coragem para (coisas inofensivas claro), ajudei em todas as lides da casa, abracei-os quando sentiam saudades de casa e até mesmo quando não sentiam! Sei, e tenho a plena certeza, que agora já todos me vêem como uma amiga. Isso deixa-me tão feliz! Porque duvido de mim, duvido muito, e, com efeito, eles acabaram com as minha inseguranças... Agora posso dizer que tenho uma família nos braços dos meus amigos. E que grande família!
 Até me soube bem desfazer as malas, estava tão calma...
 Aproveitei, está claro, a vista lindíssima para tirar fotos, artísticas principalmente, além de ter fotografado momentos que foram mitificados em memórias. O meu estado de espírito era tão positivo que foi quase como uma sessão de reiki (qualquer dia falo disto e dos efeitos que tem em mim) e isso é super bom sinal! Os meus amigos são como terapia para mim, e apercebi-me que preciso de estar com eles.
Só espero que eles tenham noção disso!

Este dia guardo-o comigo!

sexta-feira, 20 de março de 2015

 Já não tinha um dia tão completo há tanto tempo. Desde a novidade da minha amiga até aos momentos inesquecíveis vividos esta manhã! Tenho 17 anos, quase 18, e acho que vivi um dos melhores dias da minha vida hoje.
 Receber aquela notícia deixou-me nas nuvens, somos duas raparigas super diferentes, contudo, temos sintonia perfeita, estamos aqui também para ralhar uma à outra, mas ao mesmo tempo, ninguém me percebe como ela! Pensei que ela não ia connosco nestas mini férias e andava super desanimada quando a R* me deu esta novidade super excelente: Ela VAI e eu estou feliz e super entusiasmada outra vez.
 Com efeito, isto foi apenas o início, pois logo a seguir veio o eclipse! É uma coisa tão rara e satisfez-me tanto... Ver aquela magia acontecer à beira das pessoas com quem quero partilhar as melhores aventuras foi simplesmente uma sensação desmedida... Vê-lo de três maneiras diferentes, poder abraçar os meus amigos enquanto a possibilidade de ficarmos cegos permanecia no ar, ver que não era a única entusiasmada... Estava mesmo feliz!

 Não sendo o bastante, a minha escola organizou uma série de actividades que tínhamos de realizar em equipa, desde tiro ao alvo, a andar com os olhos vendados, a serrar troncos, a fazer percursos com os pés todos atados, a andar de trotinete, oh, tudo, tudinho foi único e divertido! Das melhores 3 horas que podia imaginar...
 Além disso, chegar a casa e preparar as malas para as mini férias, fazer a depilação (que eu gosto mesmo de fazer, embora toda a gente estranhe), lavar o cabelo, cozinhar... Estou na minha praia, é assim que me sinto hoje: Completa!

 Só espero que o resto da semana seja igualmente bom!
(mudei algumas coisas no blog, agora tenho separadores)

Limpezas...

segunda-feira, 16 de março de 2015

 ... e não me refiro a limpezas filosóficas!
 Não sou muito de me pronunciar quanto a estes assuntos, contudo, acho de muito mau gosto estar a pagar a alguém para não haver pó em casa e termos de ser nós a fazê-lo regularmente. Sempre disse à minha mãe que não me importava de passar a vassoura e a esfregona ao fim de semana, tendo em conta que a Dona M só cá vem às quartas, ou seja, a meio da semana, porém não acho que isso a impeça de variar aquilo que faz, tendo em consideração que no que se refere a roupa a minha mãe a lava quase todos os dias, e costuma passá-la sempre a ferro assim que está sequinha!
 A rotina da Dona M quando aqui chega é pegar na roupa, que não sei onde a vai buscar, já que a minha mãe a passa sempre toda, e passar a ferro, pôr uma máquina de roupa a trabalhar, limpar a sala, os quartos e quando se dá por isso já é hora de se ir embora.
 Não percebo este conceito... É que isto já nós fazemos. Além disso, o acordado era a Dona M limpar a casa, fazer aquilo que nós não temos muitas vezes tempo para fazer.
 Hoje, já livre de trabalhos para a escola, decidi dar um jeitinho à cozinha depois de almoçar o belo do Salmão... Não sei se o devia ter feito, um centímetro que limpava e mais um desgosto que sentia. Limpei sítios que não viam um limpa-pó há anos! E isto é mau, visto que a minha mãe ponderava aumentar a senhora (a vida não está fácil para ninguém, e ela foi despedida de três sítios).
 Isto fez-me pôr em causa a vontade que as pessoas têm de receber e trabalhar! Quer dizer, a Dona M queixa-se que foi despedida de imensas casas, mas naquelas onde ainda trabalha não faz o mínimo esforço e ainda tem a lata de atirar as nossas coisas para onde lhe dá na cabeça!
 Espero mesmo que quando eu começar a trabalhar me lembre do valor que as coisas têm, porque já estar empregado é uma dádiva, neste momento.

Despedida dos 78!

sábado, 14 de março de 2015

 O meu avô faz amanhã 79 anos, e, tendo em conta que a minha avó está fraca dos joelhos e não consegue estar muito tempo em pé, hoje vamos lá todos, pois assim está lá a Ana Rosa, "governanta" desde há muito tempo, e ajuda a minha vovó a cozinhar.
 Qualquer ocasião e evento é desculpa para estarmos todos reunidos enquanto família... Neste caso, vamos dizer adeus ao número 78 para que amanhã o meu avô possa entrar descansadinho nos 79.
 Deixa-me sempre triste, ultimamente, estar com os meus avós homens. Não é que não aproveite a companhia deles, mas ambos estão a envelhecer super rápido nestes últimos 3 anos... encarar esta realidade tão dura custa muito, aceitar que a vida é efémera e que chega a um fim mais tarde ou mais cedo, teoricamente, é muito fácil e simples, mas na prática é toda uma conjugação de sentimentos muito complexos.
 Faço por deixar bem claro aos meus avós, sempre que os deixo, que os amo incondicionalmente. Nunca tive vergonha de lhes dizer isso. E, nesta fase da vida deles, além de eu precisar que eles saibam, só lhes sabe bem ouvi-lo!
 Todos os dias podem ser a despedida, por isso: Gosto mesmo muito de vocês, gosto tanto que até dói!

Mais um update

domingo, 1 de março de 2015


 Sei que tenho andado completamente desaparecida, aliás tenho andado mesmo muito ocupada, este 12º ano está a ser o meu ano de estudo intensivo, tendo em conta que tenho mil horas livres aproveito para estudar duas mil, sem esquecer claro a diversão familiar, social e pessoal!
 Com tanta coisa a ocorrer na minha vida, nem tenho tido tempo de parar, reflectir e colocar em palavras o que sinto. Isso deixa-me, obviamente, aborrecida... contudo, só ando desaparecida pois tenho aproveitado a minha vida! Não devo estar assim tão mal.

 No entretanto do meu desaparecimento, tive uma conversa muito séria com o meu pai onde ele me disse que ficava triste por ver tanto dele em mim (sabe assim que eu sofro imenso com os meus pensamentos) e onde me contou problemas que tem, teve e vai ter sempre... Foi bom ter essa conversa com ele, talvez agora as coisas comecem finalmente a melhorar! E vocês como andam?