Bizarro? Sim, não,... não sei!

quarta-feira, 14 de outubro de 2015


 Estava a estudar fazia cerca de duas horas quando decidi que me apetecia um llao llao e, tendo a sorte de ter o centro comercial a 15 minutos de casa, lá fui eu!
 Desfrutei do meu momento sossegada e feliz da vida com aquele pedacinho do céu até ao último minuto. Até aqui a história não tem nada de estranho, pois não? 

 Como aquele bom momento tinha acabado, decidi voltar para casa, para que o estudo pudesse prosseguir. Abri a grande porta do centro comercial, saí e reparei que vinha um velhinho atrás com um andar muito vagaroso e, devido à minha educação, segurei a porta e esperei que o senhor chegasse e saísse sem se esforçar muito mais do que já se vinha a esforçar.

 Foi então que o misterioso senhor parou, ficou a olhar para mim e começou o seu discurso inquisidor: «Obrigada menina, que simpático da sua parte! (eu sorri e disse que não precisava de agradecer) A menina é tão misteriosa, como se chama a menina? (respondi o meu nome) Hum... E de que signo é? Esse olhos transmitem muita coisa... (disse que era gémeos e agradeci.) Eu sei que não se deve perguntar a uma senhora, mas a menina ainda é muito nova, que idade tem? (18 anos e fiz um largo sorriso, embora já um pouco cansada de tantas perguntas, tentando depois explicar que tinha mesmo que me ir embora...) A menina volta cá? Guarde o meu número, eu gostava muito de falar consigo um dia, eu estou sempre ali no café dentro, apareça um dia para falarmos. (A achar muito estranho e a ficar um pouco assustada, disse que tinha mesmo de ir) Posso despedir-me com dois beijinhos? Por favor, sexta feira apareça por volta desta hora naquele cafézito, para falarmos, pode ser? Promete?»
 Vim-me embora, depois de receber um beijinho na mão, visto que recusei os dois beijinhos, pensativa e assustada... E ainda me sinto assim. Como se precisasse mesmo de voltar a falar com o senhor para saber o que ele me quer, contudo, cheia de medo, pois a forma como o senhor se aproximou e me olhou nos olhos não foi nada normal!
 Bizarro? Não sei, mas que foi estranho, foi...

1 comentário: