Dos sonhos!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

 Desde pequena que digo à minha mãe que quando for grande vou ter um «Ladybug beetle car». O modelo é da Volkswagen e é lindíssimo. No mínimo, para me satisfazer, teria de ser vermelho. Contudo, o que eu realmente queria, era um lady bug vermelho com pintas de vários tamanhos pretas. Uma verdadeira joaninha andante!
 Estive à procura e reparei que o meu sonho já foi concretizado por muitas pessoas, por isso, deixo-vos imagens para que percebam o que eu realmente gostava!
 Qual é o vosso carro de sonho?



Diário de Uma Condutora #7

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

 Primeira viagem completamente sozinha, correu mesmo bem e nem estava com cabeça para conduzir. Talvez logo repita a dose. Sabe muito bem estar sozinha ao volante, sem preocupações, apenas com a música a acompanhar-nos!

Torna-se difícil...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

 Poucos são os que sabem o que sinto e o que comigo se passou... Partilhei-o por aqui quando este blog ainda era muito pequenino. É quando pensamos que está tudo resolvido, tudo curado que temos alguma quebra ou pensamento menos positivo.
 Cada vez mais considero o amor pessoal uma das coisas mais importantes de sempre, sem ele não conseguimos olhar-nos ao espelho e gostar do que vemos. Infelizmente, e sei que muita gente o sente, alcançar um patamar na nossa vida onde o que somos nos faz sentir bem é muito mais difícil do que me disseram que seria quando era pequenita e inocente.
 Lutar por uma figura, por um intelectual, por uma vida social que nos dê prazer, nos satisfaça, nos complete é desafiante, cansativo e esgotante. 
 É nos momentos em que me encontro sozinha com imenso tempo para pensar que chego a uma miserável verdade, cuja dia após dia aceito cada vez melhor: Nós nunca estamos cem por cento satisfeitos com o que temos.

Cuidados!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016


 Nunca gostei de maquilhagem, talvez porque nunca tive jeito para aplicar ou porque a minha mãe também não tem esse costume. De qualquer forma, não sou menina de bases, sombras, eyeliners, brilhos, máscaras, aliás, continuo sem conseguir distingui-las muito bem. Contudo, também não sou uma rapariga desleixada que não tem qualquer cuidado com a pele ou com a aparência. Pelo contrário, não gosto quando me surgem borbulhas inesperadas ou quando o meu nariz fica com vermelhidão por causa das alergias, fico chateada quando vou a depilação e me deixam qualquer tipo de marca no buço ou quando vou ao dentista e deixam cair cola quente nas minha bochechas (sim, já me aconteceu e tenho uma marca por causa disso...).
 Gosto de manter a minha cara e o meu corpo hidratados e saudáveis. Acho que isso é importante. Como não gosto de misturas aa minha mummy é um pouco contra a minha vontade de eliminar da minha vida o máximo número de coisas que façam mal aos pequenos animais que se sacrificam por nós), uso Nivea para tudo e adoro a marca, sinceramente.

nível de cremes e a minha mãe não me deixa comprar na The Body Shop (
 Os exfoliantes são excelentes e realmente limpam todos os poros da cara de forma a ficarmos livres de pontos negros e borbulhas por crescer. O creme Nivea Soft é, como o nome diz, suave e super hidratante, deixa a cara um mimo e mesmo brilhante e basta reduzir na quantidade para não ficar nada pegajoso. O creme de mãos é ligeiramente gorduroso, mas já não tenho as mãos secas e desidratadas há anos. Os cremes de duche têm cheiros divinos e são macios ao ponto de ficarmos com a pele brilhante só de tomar banho. A invenção Nivea In-Shower Body Lotion funciona mesmo bem, embora não a use, porque tomo duche numa banheira e torna-se escorregadio... Os desodorizantes cumprem os seus requisitos e nunca me deixaram mal. Os protectores solares já esgotaram cá em casa mais de 40 vezes e pretende-se que assim continue. E, por fim, o Nivea Creme! É um creme divinal, tanto para aplicar nos pés por baixo de umas meias antes de dormir, como para colocar nos lábios em excesso para ficarem bem hidratados.
 Sempre usei esta marca, desde pequenina e a minha pele sempre foi bastante elogiada, não querendo ser convencida, a sério, digo-vos isto do fundo do coração! Aconselho vivamente a Nivea. Pelo menos, enquanto puder, vou sempre usufruir destes produtos magníficos.

Ser imperativo e ter uma opinião.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

 Ultimamente (gosto tão pouco desta palavra) tenho tido algum tempo livre para dormir, fazer exercício, ler, comer sem pressas, estar com pessoas que não via há meses... Descontrair no verdadeiro sentido da palavra. Isto dá-me a oportunidade de ler artigos de colunistas, tweets de amigos, além de poder participar, finalmente, em saídas onde debatemos todo o tipo de assuntos.
 Não pretendo divagar sobre o que me tem ocupado nas últimas semanas, aliás, aquilo de que venho falar é sobre a forma como exprimimos a nossa opinião e as nossas ideias. No meio de tantas palavras, reparei que muita gente fala como se aquilo que diz fosse uma verdade irrefutável, como se fossem os únicos donos da verdade.

Exames: Sim ou Não?

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

 Não me lembro do sistema educativo organizado de outra forma. Desde pequenina que fui avaliada no final de cada ciclo. Tive provas de aferição, teste intermédios e exames, além dos testes periódicos de cada disciplina.
 Fiz provas de aferição no 4º ano, tive exames no 6º e 9º anos, respondi aos testes intermédios de 8º e 9º. Além disso, tive testes intermédios no 10º, 11º e 12º e ainda exames no 11º e 12º. Os meus pais sabem perfeitamente que sou a favor destas formas de avaliação, mesmo que fique nervosa e ansiosa.
 Quanto aos testes intermédios e provas de aferição acho que são uma excelente iniciativa. Assim, os professores podem ter uma melhor noção da situação em que os seus alunos se encontram e direccionar as suas aulas para isso.
 De certa forma, a notícia que tanta polémica está a fazer, mais uma vez, gira à volta de coisas que sempre houve. As ditas provas de aferição que vão agora ser aplicadas no 8º ano já existiam, só que na forma de testes intermédios. Aliás, nem sei porque se queixam... Os meus testes intermédios contavam para a avaliação contínua e as provas de aferição são apenas para AFERIR os conhecimentos dos estudantes e prepará-los para o ambiente de exame que vão ter de vivenciar no ano seguinte.
 
 O que eu acho realmente vergonhoso, no meio disto tudo, é o facto de, em 15 anos, a lei, na educação, ter mudado mais de 22 vezes. Isto não confere qualquer tipo de estabilidade na população e nas suas cabeças. As pessoas vêem as notícias e pensam que os políticos não fazem a mínima ideia do que estão a fazer, pois estão sempre a mudar de ideias. Há formas de avaliação que são objectivas e eficazes.
 Já para não falar na avaliação dos docentes... as leias quanto a esta é que são exageradamente ridículas. Mas isso fica para outro dia!

Saudades...

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

 Já não vinha aqui há muito tempo, quase uma semana e, entretanto, muita coisa aconteceu: alguns debates políticos vergonhosos, jogos de futebol com reviravoltas inesperadas, the golden globes, a morte de um cantor impressionante, David Bowie. Nem sei muito bem sobre o que escrever...
 Diria que tem sido uma semana de loucos, os acontecimentos acompanham às mil maravilhas os temporais de que temos sido alvos. Tanto faz sol e acontece algo fantástico, como faz chuva e tem lugar um acontecimento triste.

 De qualquer das formas, agora tenho mais tempo para absorver as notícias e poder comentá-las, uma vez que, finalmente, acabei o meu primeiro semestre na Universidade. Não podia estar mais feliz, principalmente porque acho que correu tudo bem e as notícias vão ser boas. Como é óbvio ainda não sei as notas, porém, as frequências correram-me bem e tenho as notas dos primeiros testes para me salvaguardar se alguma coisa correr mal nesta «segunda ronda».

 Quanto aos debates presidenciais, estou, mais uma vez, super desiludida com as coisas que são ditas e os insultos que são proferidos. Tenho mesmo pena que certos candidatos, que até tinha em boa conta, se estejam a deixar levar pela forma mais fácil de fazer campanha: Insultar, mesmo que subtilmente, o candidato opositor.
 Isto realmente preocupa-me, porque me faz perceber que não há efectivamente alguém que vá fazer a diferença no poder. Prometem todos coisas diferentes e acabam todos a fazer o mesmo.
 
 Falando agora um pouco da lenda que morreu ontem, David Bowie... Fiquei mesmo triste com esta notícia. Além disso, ele lançou há pouquíssimo tempo um álbum que eu estava a adorar ouvir e conhecer, ficando mesmo com a esperança que ele viesse cá a Portugal actuar e eu pudesse ir ver. Pelos vistos, isso não vai mesmo acontecer e o mundo perdeu mais uma pessoa espectacular. Despendam um pouco do vosso dia a ouvir o novo álbum deste ilustre senhor.

 Além de tudo isto, tenho apostado mais nas fotografias e tentado explorar mais o mundo que eu tanto gosto e me corre no sangue. Deixo-vos algumas! (Se as usarem alguma vez, ponham créditos por favor!)

"Qu'est-ce qu'on a fait au Bon Dieu?"

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

 «Que mal fiz eu a Deus?» estreou a 24 de Julho de 2014 em Portugal e a 2 de Janeiro de 2016 na RTP1. É uma comédia Francesa, cujas gravações forma feitas em Paris, com 97 minutos de pura risota!
 Mais um filme francês cheio de qualidade e, pelos vistos, filmado com um orçamento não muito alto.
 O casal Verneuil é francês e católico. São extremamente educados e bastante tolerantes. Aliás, com três das quatro filhas já casadas, aceitaram optimamente o facto de os seus três genros serem de religiões e origens diferentes. A filha mais sensível, Ségolène, que chora por tudo e por nada, casou com um banqueiro chinês, Chao Ling. A morena, Isabelle, é casada com um advogado árabe, Rachid. E a última das mais velhas, Odile, está casada com um investidor judeu, David.
 A primeira parte do filme é marcada por momentos familiares hilariantes onde tanto o casal mais velhos como os três mais novos se tentam entender. Os argumentistas conseguiram juntar a discussão de problemas sérios, como o desentendimento entre povos, e divertimento de um forma muito inteligente e «soft».
 É na «segund
a» parte do filme que se dá a reviravolta. A filha mais nova, Laure, dá a excelente notícia aos pais de que se vai casar com Charles, completamente católico. A esperança dos pais que seja um católico francês é de tal maneira grande que os deixa completamente boquiabertos quando a filha aparece acompanhada por um africano.
 Juntam-se, então, ao elenco três actores excelentes que representam a família do Charles. Com o pai do noivo também contra o casamento são-nos proporcionados momentos de muita loucura!

 Não vou contar mais nada! Apenas que cada vez estou mais surpreendida com os filmes franceses. O sotaque envolve-me completamente por si só, porém, são os excelentes actores que me surpreendem cada vez mais!
 Bom filme!

Diário de Uma Condutora #5

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

 Estou farta de conduzir sempre à chuva. Acho que até agora só tive 4 aulas com bom tempo! Tenho medo que o exame seja com chuva também...

Um desejo realizado...

sábado, 2 de janeiro de 2016

... e apenas 10 minutos tinham passado desde a 00h00 de 1 de Janeiro de 2016.

Não consigo pensar neles sem sorrir instantaneamente.
 Este ano, a nossa relação com a família da porta ao lado cresceu imenso, ao ponto de lá passarmos todas as nossas sextas à noite na galhofa, na conversa, a comer nozes e maçãs assadas (sem açúcar!!!).
 Se houve coisa que guardo junto do coração com o fim de 2015, foi a amizade que criámos com os nossos vizinhos. Dizer que gosto deles é dizer pouco. Ajudaram-me sem sequer se terem apercebido disso. São um braço direito que não contava ter nesta altura!
 Os miúdos, 8 e 13 anos, tratam-me como uma irmã mais velha e, quando me vêem, principalmente o mais novo, correm para me abraçar e encher de beijinhos. Miúdos amorosos, com pais cultos, inteligentes, presentes,...
 Mais uma vez, passámos uma noite na sua acolhedora casa, noite esta conhecida com a passagem de ano. Estava a ser uma noite excelente, muitas gargalhadas, muitos abraços, muitas conversas com conteúdo.
 Porém, melhorou imenso quando lançaram fogo de artifício mesmo à nossa janela! Adorei. Ver aquelas explosões tão perto de mim, senti-las ao mais alto nível. Vê-las desvanecer num céu tão perto!

 Foi uma noite para recordar. Um desejo já foi cumprido!

 FELIZ ANO NOVO A TODA A GENTE!!!