A cidade Fantasma...

terça-feira, 9 de agosto de 2016

 ... porém, de visita obrigatória: Chaves.
 Ao fim de seis ou sete anos sem férias a sério com a minha mãe, este ano está a dar para usufruir de dias seguidos com ela e aproveitar para visitar e conhecer melhor o nosso país, mais concretamente, a zona NORTE.
 Este domingo decidimos que iríamos visitar esta cidade que fica a 1h40m de Braga se andarem com cuidado e optarem pela auto-estrada.
 Chegadas à cidade, achámo-la um pouco deserta, até assustadora, sinceramente, mas, rapidamente mudámos de ideias ao alcançar o centro da cidade. O meu queixo caiu face aos detalhes das ruas, com um aspecto mais rural, à organização das ruas, à cor dos prédios e dos jardins.


 1ª dica: Levem muita água, quando digo muita, eu quero dizer imensa. Ou comprem assim que puderem, pois, Chaves é tão quente como Braga ou Évora, o que quer dizer que é uma tosta queimada acabada de sair da tostadeira!
 Estacionámos o carro numa praça e, como era domingo, este foi gratuito. Pegámos nos nossos melhores amigos, os nossos pés, e começámos a explorar a cidade.
 Fomos visitar a torre de menagem, lindíssima e super alta. No cimo da torre, é-nos permitido explorar o telhado, dando-nos assim o privilégio de mirar uma das vistas mais bonitas e capaz de nos tirar o fôlego (sem ser por causa do calor, claro!). 1€ cada adulto e 0,50€ cada estudante que não nos custaram nada a tirar da carteira.

 2ª dica: Roupa confortável, mas, acima de tudo, calçado que saibam que não vos vai deixar mal: ou seja, que vos permita caminhar imenso sem que os pés fiquem em sofrimento. Por exemplo, as sandálias que vêm na imagem acima são as minhas companheiras num look bonito, mas acompanham-me em longas caminhadas devido ao conforto que proporcionam.

 Continuámos a explorar as ruas, passámos pela ponte romana (ponte de Trajano) que passa por cima do rio Tâmega e vale muito a pena pisar. Vimos igrejas com acabamentos divinos para a altura em que foram construídas, tencionávamos visitar alguns museus, porém, tivemos algum azar e às 17h30m já estavam fechados. Havia ainda mais duas torres que podiam ser visitadas. Todavia, decidimos fazer opções e escolhemos ir visitar a Fundação Nadir Afonso e não nos arrependemos nem um bocadinho.

 Nascido em 1920, começou a pintar com apenas 16 anos, passando por um período surrealista que culmina num longo período barroco conjugado com o pré-geometrismo a par com o período egípcio. Todo este estudo e processo moroso deu origem a quadros dos meus períodos favoritos: O Espacillimité e o Ogival, onde todos os quadros têm influências geométricas e consistem no infinito, em pinturas que nunca mais acabam.
 Expôs e trabalhou com pintores e artistas de renome, teve também variados trabalhos na área da arquitectura.
video
 Gostei especialmente desta exposição porque a matemática é usada de uma maneira que não esperava e fiquei surpreendida.

 Acabámos a tarde num café a beber água e a aproveitar a linda vista que a cidade, apesar do aspecto deserto, nos proporciona.
 Sem dúvida um sítio a visitar. Quando lá voltar, tenciono fazer as rotas termais, foi algo que nos escapou completamente... Dizem ser lindíssimo.

 Acreditem que vale a pena explorar o nosso país, tem sítios lindíssimos. Não é uma perda de tempo, de todo!

7 comentários:

  1. Eu gosto muito de chaves :) Visitávamos essa cidade todos os anos porque o meu pai fazia uma prova de BTT, e eu e a minha mãe andávamos sempre no comboio turístico :)
    Nunca tive a sensação de que era deserta porque nesses dias estava cheia de ciclistas e familiares...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tendo visitado a cidade num Domingo, talvez não a tenha visto com essa magia. Porém, não deixo de ter adorado a cidade e os seus mil cantinhos.

      Eliminar
  2. Parece que alguém aproveitou bem as férias!!

    ResponderEliminar
  3. Quando andava no 8º ano tive uma visita de estudo a Chaves e adorei subir ao cimo da torre e deparar-me com aquela vista lindíssima! E ainda atravessei o rio por aquelas pedrinhas ahahah

    Beijinhos*
    r: Obrigada :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi sem dúvida de tirar o fôlego!
      Beijinhos :)

      Eliminar
  4. Achei imensa piada ao teu comentário da tosta queimada ahahha xD
    Acho que já estive em Chaves mas foi de passagem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Momento de inspiração cara amiga, contudo, não deixa de representar a verdade. Um beijo enorme.

      Eliminar